Configurar Streaming de Vídeo Flash Media Encoder

Olá, Tudo bem?

Neste tutorial, iremos lhe ensinar a configurar seu Streaming de Áudio e Vídeo no Software Adobe Flash Media Live Enconder.

Download do Software:

Se você ainda não tiver o software instalado em seu computador, você pode baixá-lo diretamente no Site da Fabricante Adobe, neste link abaixo:

Baixar: Flash Media Live Encoder

(na página do fabricante basta apenas clicar em Baixar – o Software é gratuito, mas a Adobe exige que você tenha um cadastro para poder baixar o programa).

 

Após baixar e instalar o software, siga os passos abaixo:

 

1º Passo:

Assim que você contratar seu Streaming de áudio e vídeo, automaticamente a Server Media lhe envia um e-mail com as configurações do seu streaming de Vídeo, abra o email de Boas vindas:

No email de boa vindas, consta todas as informações necessárias para a configuração do Software com o título “Informações do Painel de Controle”:

OBS: Caso as informações não tenham chego em seu email, é possível a visualização dentro da central do cliente.

 

Informações do Streaming:
 Endereço Painel: http://stream12.streamingdevideo.com.br/
 Login: seulogin@servermedia.com.br
 Senha: sua senha

Assim que tiver acesso a estes dados, abra o programa: Adobe Flash Media Live Encoder.

 

Obs: Equipamentos Necessários (Câmera).

Neste Tutorial utilizamos uma webcam (Microsoft LifeCam HD-5000) – ela conecta via USB em seu computador e o Adobe Live Encoder reconhece a Câmera de Imediato. Caso tenha interesse em maiores informações da Câmera, disponibilizamos o site do Fabricante.

Site Oficial: Webcam (Microsoft LifeCam HD-5000)

2º Passo:

Após aberto o Adobe Flash Media Live Encoder, tela abaixo:

streaming-de-video-011

 

 

Com os dados das informações de seu Streaming (Eles estarão dentro do seu painel de administração do streaming) você vai alterar as configurações do Software:

 

Untitled-2

 

Veja o print abaixo:

streaming-de-video-03

 

3º Passo:

Assim que incluir os dados, aperte o botão “CONNECT”.

Ele irá solicitar a sua senha de usuário e login que encontra-se no seu painel de controle conforme neste print:

Untitled-2

 

Se as configurações estiverem corretas, irá aparecer uma confirmação de conexão na parte (inferior, lado esquerdo) informando que o software está conectado corretamente.

 

streaming-de-video-04

 

4º Passo:

Com a conexão configurada perfeitamente, é hora de configurar a forma que seu streaming será transmitido.

 

O software é divido em 03 Colunas (Vídeo / Áudio / Conexão), veja a demonstração:

 

streaming-de-video-05

5º Passo:

Vamos Configurar o Vídeo:

 

Device: (placa de captura ou câmera que o software está reconhecendo).

Format: H.264 (recomendamos o H.264 pois é aceito em plataforma mobile – smartphone e tablets etc) .

Frame Rate: (Velocidade do Vídeo, o ideal é 25.00).

Imput Size: tamanho que o vídeo está entrando em seu Software.

Bit rate: 200 Padrão (é a qualidade do streaming – depende da forma que você quer transmitir – quanto maior melhor a definição, entretanto fica mais pesado o Stream).

Output Size: Tamanho do Player do Streaming.

OBS: Recomenda-se sempre que o Imput seja maior que o Output – caso contrário a qualidade fica ruim.

 

Configurar o Áudio:

Device: (placa de áudio ou microfone conectado no computador).

Format: MP3 (padrão).

Channels: (Stereo – para maior qualidade).

Sample Rate: 44100 Hz (recomendado).

Bit rate: 96 Padrão (é a qualidade do streaming – depende da forma que você quer transmitir – quanto maior melhor a definição, entretanto fica mais pesado o stream).

 

Obs: Pode se notar, que o próprio software irá lhe informar a qualidade total do Streaming:

 

TOTAL VÍDEO 1 + ÁUDIO BIT RATE: 296 kbps

O Streaming será transmitido a 296Kbps. (ou seja, para que seu usuário visualize seu streaming ele terá que ter uma conexão mínima de 300Kb sem oscilações).

6º Passo:

Após o vídeo e o Áudio configurados você pode testar a transmissão, basta apenas apertar o botão “START” :

streaming-de-video-0556

 

Assim que acionar o Start, o Streaming já está sendo transmitido.

7º Passo:

Você pode gerar o seu Player dentro do painel de controle clicando na aba (Player), você pode personalizar o player da forma que deseja.

 

streaming-de-video-07

Leia Mais

Novos Planos de Streaming de Áudio

No dia 16 de fevereiro de 2017, nossa empresa começou a disponibilizar novos serviços de transmissão de áudio para rádios fm/am ou web rádios, todos os planos foram elaborados por profissionais mediante a diversas necessidades!

Você procura Streaming de Áudio Profissional para a sua emissora? Nós podemos ajudar você com isso!

Nosso Streaming conta com uma qualidade superior podendo oferecer ao cliente e espectador uma estabilidade incomparável com um suporte técnico qualificado e atencioso. Nossa empresa conta com uma cartela de clientes que são exigentes e energéticos, por este motivo prezamos a qualidade de nossos produtos para que possamos atender nossos clientes e corresponder a suas expectativas no mercado atual.

Você está precisa de colocar a sua emissora online ? Está precisando colocar a sua rádio na internet ? Venha já para a Server Media e desfrute de nossa conectividade global.

Maiores informações, acesse o nosso site www.ServerMedia.com.br

 

 

 

Leia Mais

Cloud Server Xen no Brasil?

O Citrix XenServer é uma plataforma líder de virtualização de servidor e gerenciamento de hipervisor, que reduz o custo total de propriedade para aplicativos, desktop, nuvem e infraestruturas de virtualização de servidor. A consolidação e a contenção de cargas de trabalho no XenServer permite que organizações de qualquer vertical ou tamanho transformem a forma como a TI empresarial calcula as infraestruturas, superando os desafios de datacenter de TI das empresas modernas de hoje.

A Server Media junto com o DataVirtua.com.br conta com virtualização de servidores Xen no Brasil com o melhor custo benefício do mercado.

 

 

Leia Mais

Devo Obter Um Servidor Com Gerenciamento no Brasil?

Olá, Tudo bem?

Neste artigo irei falar sobre a importância de algumas empresas em obter um servidor VPS ou servidor dedicado no Brasil com gerenciamento, pode até parecer para algumas pessoas que um gerenciamento de servidor não faça diferença, más para algumas empresas um servidor gerenciado pode ser uma mão na roda.

Primeiro irei falar alguns fatores no qual sua empresa deve possuir um serviço de gerenciamento, caso você se enquadre nos pontos que irei sitar aqui neste POST é muito o serviço de gerenciamento será muito importante para você!

Você possuí um negócio que não tem um profissional para administrar seus  servidores?

Todos nós sabemos que a internet é uma porta aberta, caso seu servidor esteja desprotegido ele pode ficar vulnerável a ataques podendo causar um constrangimento muito grande ao cliente de um servidor dedicado ou vps, por este motivo nós sempre indicamos para clientes com pouca experiência, um gerenciamento de servidores que possa auxiliá-lo sob medida em seu negócio.

Você precisa de um atendimento exclusivo para seu negócio?

Embora o nosso suporte técnico seja eficiente e atencioso, existem algumas coisas que nós não podemos nos responsabilizar, tais como uma  má configuração do sistema operacional ou má utilização do serviço, porém com o gerenciamento de servidores, nossa equipe pode ser totalmente atenciosa a qualquer eventual problema que esteja relacionado a seu VPS Windows no Brasil ou VPS Linux e poder resolver os problemas causados dentro de seu serviço que podem ser gerados por uma má configuração.

Você deseja ganha tempo para cuidar de seu negócio online?

Você possui o conhecimento más você não tem tempo para cuidar de seu servidor dedicado ou vps hosting ? É bem aconselhável que você utilize um serviço de gerenciamento, pois assim você terá um suporte qualificado apenas com um chamado ou telefonema.

Existem também outros diversos fatores que implicam na realização de um gerecimento de servidores para isso você precisa tornar o seu negócio online.

 

Você deseja maiores informações sobre nossos produtos? Você pode acessar os Sites:

http://www.MeuVPS.com , http://www.ServerMedia.com.br

Conte conosco!

 

 

 

Leia Mais

Como Alterar DNS no Registro.br

Este tutorial irá ensinar você a modificar os seus DNS no site www.registro.br

1 – Acesse o registro.br através de http://www.registro.br

2 – Clique em “Acessar conta” :

registrobr1

3 – Entre com seu usuário/senha e clique em acessar (caso tenha esquecido, nós podemos ajudar, basta nos enviar um e-mail ou um chamado técnico)

4 Clique no domínio em que deseja mudar os DNS.

5 – Clique em “Alterar servidores DNS

registrobr2

6 – Preencha os campos Master e Slave1 da seguinte forma =

1 – ns1 nome fornecido e a baixo o ip

2- ns2 nome fornecido

registrobr3

Leia Mais

Você já escolheu seu Servidor VPS Linux ou Windows?

A Server Media, conta com planos de servidores Cloud VPS, com máxima estabilidade, podendo suprir as suas necessidades com VPS Linux, VPS Windows, VPS com CPanel e muito mais!!

Cloud VPS Server Professional

O Cloud VPS  Server Professional na maioria das vezes é utilizado por empresas de pequeno ou médio porte que desejam hospedar um conteúdo online de forma rápida, estável e segura. Contamos com uma estrutura em diversos datacenter’s em pontos estratégicos no mundo e nossa conectividade conta com 9 Datacenter’s localizados em Miami, Seattle, Salt Lake City, Phoenix, Chicago, Dallas, Atlanta e Brasil, nossa conectividade & estrutura disponibilizada no Servidor VPS Cloud Pro possui alta conectividade e disponibilidade, garantindo o crescimento do seu negócio.

Com o VPS Server Media, seu negócio online terá muito mais velocidade e estabilidade

Leia Mais

Como Configurar Roteador D-Link

Se você acaba de comprar um roteador D-Link, precisa saber instalar e alterar a senha de fábrica. Este tutorial ensina a realizar essas duas etapas, após as quais você já conseguirá usar o aparelho com segurança. O modelo usado foi o D-Link DIR-905L, mas o procedimento é o mesmo para todos os roteadores da companhia.

 

D-Link é uma das principais fabricantes de roteadores (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)
D-Link é uma das principais fabricantes de roteadores (Foto: Divulgação/D-Link)

Instalando roteador D-Link

Passo 1. A primeira coisa a fazer é realizar a instalação física do roteador. Você irá conectar o cabo de energia na porta correspondente (na imagem abaixo, identificada pelo [1]); o cabo de rede que sai do modem na porta “Internet” [2]; e o cabo que será conectado ao computador em uma das portas LAN [3].

Traseira do roteador D-Link com cabos conectados (Foto: Raquel Feire/TechTudo)
Traseira do roteador D-Link com cabos conectados (Foto: Raquel Feire/TechTudo)

Passo 2. Conecte a outra ponta do cabo que foi conectado à porta LAN ao desktop ou notebook;

Traseira do roteador D-Link com cabos conectados (Foto: Raquel Feire/TechTudo)Traseira do roteador D-Link com cabos conectados (Foto: Raquel Feire/TechTudo)

Passo 3. Abra seu navegador de Internet e digite “http://192.168.0.1/index.asp” na barra de endereço, sem as aspas. Digite “admin” no campo “User Name” e deixe o “Password” em branco. Aperte o botão “Log In”.

Página inicial de configuração do roteador (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)
Página inicial de configuração do roteador (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Passo 4. Na tela inicial, clique na aba “Setup” e selecione o menu “Internet Connection”, localizado à esquerda. Aperte o botão “Internet Connection Setup Wizard”.

 

Destaques para botões e menus que devem ser clicados em Setup (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)Destaques para botões e menus que devem ser clicados em Setup (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Passo 5. O assistente pedirá para que você defina uma senha. Digite o código nos dois campos de texto e clique em “Next”. Em seguida escolha seu fuso horário em “Time Zone” e deixe o “NTP Server Used” em “ntp1.dlink.com”, apertando em “Next” novamente.

Primeiras etapas de configuração do roteador através do assistente (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)
Primeiras etapas de configuração do roteador através do assistente (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Passo 6. Na caixa seguinte, selecione a opção “Yes” e pressione “Next” [1]. Aguarde alguns instantes até que o tipo de conexão WAN seja detectada. Quando o processo for concluído, o assistente exibirá o endereço de IP. Clique em “Next” [2].

Etapas finais de configuração do roteador D-Link pelo assistente (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)
Etapas finais de configuração do roteador D-Link pelo assistente (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Passo 7. Por fim, aperte o botão “Connect” na caixa seguinte.

Destaque para botão Connect (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)Destaque para botão “Connect” (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Passo 8. Pronto, seu roteador D-Link já está instalado e devidamente configurado.

Mudando a senha do roteador D-Link

Passo 1. Se você nunca definiu qualquer senha para o seu roteador ou quer alterar a senha atual, primeiramente entre na aba “Maintenance”. Clique no menu “Device Administration” e digite novo nome de usuário e/ou senha. Aperte o botão “Save Settings” para concluir.

Alteração de senha do D-Link é feita na guia Maintenance (Foto: Reprodução/ Raquel Freire)
Alteração de senha do D-Link é feita na guia “Maintenance” (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Leia Mais

Apple elege os 12 melhores aplicativos do ano

A Apple revelou hoje, durante a WWDC, os vencedores de seu prêmio anual “Design Awards”, que destaca os melhores aplicativos para iOS em termos de design e inovação. Entre os ganhadores, está uma dupla brasileira pela primeira vez.

Os brasileiros que ganharam o prêmio são Gabriel Mathias Rocha e Victor Lappas Giménez, da Bytebrushers, que criaram o game jump-O.

Confira abaixo os 12 ganhadores.

Shadowmatic: grande vencedor desse ano, o game de quebra cabeça permite ao jogador encontre figuras a partir das sombras formadas por objetos. Disponível para iOS 6.0 ou superior.

Metamorphabet
:
game educacional que traz um alfabeto interativo. Disponível para iOS 7.0, Mac OS X 10,7 e Windows 7 ou superior.

jump-O
:
o game produzido pelos brasileiros que ganhou destaque graças ao seu minimalismo. Disponível para iOS 7.1 ou superior.

Robinhood
:
o app permite trocar ações entre os próprios usuários, evitando pagar por taxas a cada transação; não está disponível no Brasil.

Crossy Road
:
lembra o famoso game Frogger só que de uma forma reinventada. Disponível para iOS 7.0 e Android 2.3 ou superior.

Fantastical 2
:
o app é um calendário desenhado exclusivamente para o Mac OS X Yosemite.

Affinity Designer:
programa de edição de imagens para Mac OS X, voltado em especial para imagens vetorizadas.

Workflow
:
permite criar mais de 200 ações em diferentes aplicativos de Iphone e Apple Watch, como atalhos para um contato ou mapa. Disponível para: iOS 8.0 ou superior.

Does Not Commute
:
um game que mistura direção e raciocínio, disponível para iPhone, iPod, iPad e Android.

Vainglory
:
é um game online em que as disputas são realizadas em arenas, está disponível para iPhone, iPod e iPad.

Pacemaker
:
app de mixagem de músicas, feito para iPhone, iPad e Apple Watch. Disponível para iOS 8.0 ou superior.

Elementary Minute:
um quizz game, mas com ritmo mais acelerado e design simples, com dois modos de jogo. Disponível para iOS 7.1 ou superior.

Via Apple.

Leia Mais

Proteção DDoS através de script

A melhor definição para isso foi do Spookerlabs – “Povo ofecerando milagras e veja pq nao funciona”

Antes de começar este artigo, gostaríamos de informar que a ServerMedia já trabalha com servidores que detem uma proteção de DDoS física, tornando seu negócio mais seguro.

Muitos blogs e sites vêm divulgando alguns scripts milagrosos que prometem parar ou mitigar ataques DDoS utilizando regras para o Iptables e tuning para o Linux, eles mais parecem propaganda religioso que passam de madrugada.

Abaixo, segue uma pequena lista de scripts e configurações que a galera utiliza no APF, Iptables e tuning no Linux achando que irão resolver os ataques DDoS como um passe de mágica:

service apf stop
iptables -F
wget http://www.hackersgarage.com/wp-content/uploads/2011/08/antiDDoS.txt
mv antiDDoS.txt antiDDoS.sh
chmod u+x antiDDoS.sh
./antiDDoS.sh

echo "Block TCP-CONNECT scan attempts (SYN bit packets)"
iptables -A INPUT -p tcp --syn -j DROP
echo "Block TCP-SYN scan attempts (only SYN bit packets)"
iptables -A INPUT -m conntrack --ctstate NEW -p tcp --tcp-flags SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH SYN -j DROP
echo "Block TCP-FIN scan attempts (only FIN bit packets)"
iptables -A INPUT -m conntrack --ctstate NEW -p tcp --tcp-flags SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH FIN -j DROP
echo "Block TCP-ACK scan attempts (only ACK bit packets)"
iptables -A INPUT -m conntrack --ctstate NEW -p tcp --tcp-flags SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH ACK -j DROP
echo "Block TCP-NULL scan attempts (packets without flag)"
iptables -A INPUT -m conntrack --ctstate INVALID -p tcp --tcp-flags ! SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH -j DROP
echo "Block "Christmas Tree" TCP-XMAS scan attempts (packets with FIN, URG, PSH bits)"
iptables -A INPUT -m conntrack --ctstate NEW -p tcp --tcp-flags SYN,RST,ACK,FIN,URG,PSH FIN,URG,PSH -j DROP
echo "Block DOS - Ping of Death"
iptables -A INPUT -p ICMP --icmp-type echo-request -m length --length 60:65535 -j ACCEPT
echo "Block DOS - Teardrop"
iptables -A INPUT -p UDP -f -j DROP
echo "Block DDOS - SYN-flood"
iptables -A INPUT -p TCP --syn -m iplimit --iplimit-above 9 -j DROP
echo "Block DDOS - Smurf"
iptables -A INPUT -m pkttype --pkt-type broadcast -j DROP
iptables -A INPUT -p ICMP --icmp-type echo-request -m pkttype --pkttype broadcast -j DROP
iptables -A INPUT -p ICMP --icmp-type echo-request -m limit --limit 3/s -j ACCEPT
echo "Block DDOS - UDP-flood (Pepsi)"
iptables -A INPUT -p UDP --dport 7 -j DROP
iptables -A INPUT -p UDP --dport 19 -j DROP
echo "Block DDOS - SMBnuke"
iptables -A INPUT -p UDP --dport 135:139 -j DROP
iptables -A INPUT -p TCP --dport 135:139 -j DROP
echo "Block DDOS - Connection-flood"
iptables -A INPUT -p TCP --syn -m iplimit --iplimit-above 3 -j DROP
echo "Block DDOS - Fraggle"
iptables -A INPUT -p UDP -m pkttype --pkt-type broadcast -j DROP
iptables -A INPUT -p UDP -m limit --limit 3/s -j ACCEPT
echo "Block DDOS - Jolt"
iptables -A INPUT -p ICMP -f -j DROP

O script acima possui uma série de interpretações que levam ao erro, principalmente para aqueles que estão começando na área. Utilizar um firewall com regras de DROP à torto e a direita não é solução para um ataque DDoS – isso foi o que eu quis dizer logo no início do post e não ficou claro, erro meu..

Abaixo tem mais  um script que faz o download e de outros scripts que promete o falso milagre:

wget http://www.inetbase.com/scripts/ddos/install.sh
chmod 0700 install.sh
./install.sh

Outro ponto importante é que há analistas que acreditam que configurar um firewall “de foram correta” é garantir a integridade de seu ambiente – totalmente errado. O entendimento por completo dos protocolos TCP/IP  é outro erro praticado por muitos. O importante, acima de tudo, é entender como é originado, feito e direcionado um ataque, para dar inicio ao processo de mitigação. Um firewall não tem como bloquer um ataque Slowloris, e um IDS/IPS tem ? Outra discussão que vale a pena ser aborda em outro post. :)

Voltando aos ataques DDoS, as operadores – empresas de telecomunicação –  possuem um papel fundamental na proteção de ataques DDoS Layer4. Eles têm todos recursos e equipamentos para detê-los, fato. Porém elas pecam em bloquear todo o tráfico inbound para uma empresa que é alvo de um ataque, e pior, não investem no treinamento e aperfeiçoamento do seu pessoal. A resposta para o por que disso é bem simples – Sai mais barato deixar o circo pegar fogo ou fazer um regra super restritiva do que passar alguns minutos analisando logs e apontar a regra correto e que desafogará, em alguns casos, a infra do cliente.

Muitos dos ataques DDoS praticados nos últimos anos são difíceis de serem bloqueados devido a dispersão geográfica e também ao seu poder de fogo. Há ataques provenientes de milhões de computadores que que chegam em mais de 100Gb/s de banda.

Muitos especialistas da área e com experiência de mais de 10 anos dizem que os ataques DDoS de hoje são os mesmos de 5 anos atrás, mas agora, graças as redes sociais, eles são divulgados. Eu acredito que hoje há uma coordenação dos ataques, novas ferramentas e posso me atrever a dizer que há novos tipos de ataque.

O fato é que não há uma solução, configuração ou produto mágico que seja capaz de mitigar estes ataques por completo, mas sim a implementação de várias contra medidas, dependendo é claro do seu ambiente e do seu bolso para minimizá-los, isso sem falar naquele velho ditado “Tenha uma arma maior que a do seu inimigo”, que neste caso é banda.

P.S.: Eu e muitos outros profissionais preferimos o CSF, já apresentado e comentado pelo Alan Sanches no último hackingday e ferramenta utilizada na infra do Desafio Hacker ao invés do APF, mas um aviso importante, ele não bloqueia ataques DDoS.

fontes: http://www.hackersgarage.com/ e http://www.mydigitallife.info/prevent-and-stop-dos-or-ddos-attacks-on-web-server-ddos-deflate/

 

 

Leia Mais

O que é um Streaming de Audio

O que é um Streaming de Audio:

Streaming (fluxo, ou fluxo de mídia)é uma forma de distribuir informação de audio e video pela Internet através de pacotes.

O streaming consiste em um tipo de arquivo capaz de ser executado mesmo enquanto ainda está sendo baixado pela  Internet; muito utilizado para distribuir conteúdo de audio (Web radios), No streaming, as informações da mídia não são arquivadas pelo usuário que está recebendo a stream (a não ser a arquivação temporária no cache do computador).  A mídia é constantemente reproduzida à medida que chega ao usuário, e se a Internet for de boa qualidade pode ser reproduzida em tempo real, o usuário aguarda alguns segundos e após esta pequena espera, o som tem início, estes primeiros segundos são usados para criação de um buffer na memória do PC, uma espécie de depósito de dados para que o tocador (player) não pare caso a conexão piore durante o streaming.

Para realizar este trabalho são necessários Codificadores e Decodificadores de áudio.

Atualmente, com o advento de tecnologias como o ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line),  Internet via Cabo, rádio, WiMAX, permitem novos horizontes na Internet, como por exemplo, o vídeo sob demanda (video on demand). Também é possível  ouvir radios e assistir a vídeos em streaming via telefone celular ou na tela do computador.

É uma tecnologia que tem possibilitado a muitas pessoas em todo o mundo terem acesso a conteúdo que antes nao era possivel através da internet. Por exemplo, se estamos no Brasil, podemos assistir e ouvir Tvs e Rádios de outros países. Utilizando somente um computador ou um telefone com tecnologia 3G.

Os 3 principais sistemas de Streaming são:

Windows Media

O Windows Media é o mais popular dos players na plataforma PC justamente por vir instalado com o Windows. Para codificar os arquivos em Windows Media Áudio, entretanto, é necessário fazer o download do Windows Media Encoder. Ambos os programas são de uso gratuito.

Usa o conceito de target audiences (audiências alvo) que são escolhidas durante o processo de codificação. Possui a tecnologia Intelligent Streaming, que tenta ajustar o fluxo de áudio para as diferentes velocidades de conexão. No caso de vídeos, por exemplo, a medida que a conexão piora, o sistema passa a mandar menos frames, procurando manter o som inalterado. Da mesma forma que o RealSystem com seu SureStream necessitam de servidores Real, apenas Windows Media Servers (servidores especiais de Web) podem executar Intelligent Streaming.

QuickTime

Apesar do pioneirismo da Apple em multimídia, o quicktime não foi originariamente criado para streaming. A empresa demorou a perceber o potencial desta tecnologia e só mais tarde o quicktime ganhou capacidades de fazer stream. O Quicktime é usado tanto para decodificar (tocar) o arquivo stream quanto para codificar. Embora esta funcionalidade só esteja na versão profissional do programa.

Ao ser acionado, o Quicktime especifica um nível de qualidade de streaming do arquivo a partir da análise da velocidade de conexão. O streaming é iniciado a partir deste instante.

RealSystem

O Real, da empresa RealNetworks, possuir um player chamado RealPlayer ou RealOne e usa o codificador Real Producer ou Helix Producer para a criação dos arquivos stream.

Usa uma tecnologia chamada de SureStream, recurso que entrelaça vários níveis de qualidade no mesmo arquivo. À medida que a taxa de transferência da conexão varia, a qualidade do streaming enviado é escolhida dinamicamente. Ele tenta enviar sempre o som com a melhor qualidade possível na conexão disponível. Para que este recurso funcione, entretanto, é necessário que o arquivo sonoro esteja armazenado em um RealServer ao invés de um servidor Web padrão.

Servidores de Streaming

Á princípio não é necessário ter um servidor especial para colocar arquivos de áudio ou vídeo com download streaming em nossas webs. Qualquer servidor normal pode mandar a informação é o cliente quem se encarrega de processá-la para poder mostrá-la na medida em que for recebendo.

Entretanto, existem servidores especiais preparados para transmitir streaming. Embora em muitas ocasiões não seja necessário utilizá-los, podem nos oferecer importantes prestações como mandar um arquivo de maior ou menor qualidade dependendo da velocidade da Internet.

Em determinados casos, como para funcionamento de uma rádio ou a transmissão de um evento ao vivo, será imprescindível ter um servidor de streaming que vai receber o sinal; e ele enviará a todos os clientes na medida em que vai recebendo o sinal.

Leia Mais